Older Than Time

Álbum.

Older Than Time

Single Image

SpotifyList.

Letras.

Fight Them

...seção sendo atualizada.

Hard Life

...seção sendo atualizada.

Sorceress

...seção sendo atualizada.

Sleeping Lady

...seção sendo atualizada.

Iron Giant

...seção sendo atualizada.

Lunar Eclipse

...seção sendo atualizada.

Older Than Time

...seção sendo atualizada.

Questions No Answers

...seção sendo atualizada.

Vídeo.

Resenha.

O álbum abre com “Fight Them”, música contida na primeira demo da banda e que ganhou um ‘punch’ com essa nova produção e que agrada os fãs de Budgie e Blue Oyster Cult, sendo uma abertura de peso para o disco. A segunda faixa, “Hard Life” vem com uma intro a la Steve Howe, mas logo vira um Hard setentista cheio de melodias e pegada num mix de Thin Lizzy, Wishbone Ash com Rush dos dois primeiros discos e que entra em um espiral progressivo na sua parte intermediária. “Sorceress” inicia já trazendo as ‘twin guitars’ também numa pegada Hard 70’s com destaque para solos inspirados da dupla Jobson/Ramon e um excelente refrão. “Sleeping Lady” também é outra canção que vem da primeira demo do grupo, uma canção magistral que inicia como uma balada nos moldes do Pink Floyd e King Crimson que aos poucos vai se transformando no progressivo tipo Camel e Eloy, com solos viajantes e bateria mid-tempo. “Iron Giant” é a faixa que deu nome ao compacto lançado pela banda e que mostra elementos progressivos com teclados, guitarra, baixo e bateria dando show de sincronia em momentos próximos de um ‘Relayer’, se é que o leitor me entende! A faixa “Lunar Eclipse” é uma instrumental viajante com solos espaciais no melhor estilo David Gilmour que prepara o ouvinte para a faixa-título “Older Than Time” que vem com nuances de Captain Beyond, para a alegria desse que vos escreve. O álbum fecha com “Questions No Answers”, também presente nos primórdios da banda e que mostra toda a versatilidade do grupo passeando pelo Soft Rock, Hard, Prog com a quebradeira e experimentalismo tomando conta de seu terço final.

Quem acompanha a banda desde os primeiros ensaios, nota que o grupo está voando graças à esses anos de entrosamento que trouxeram a experiência necessária para que chegassem a esse ponto de gravar um álbum coeso, de qualidade e quem sabe daqui há alguns anos poderá ser lembrado como um dos grandes trabalhos desse gênero no país. Nadando contra a maré, a Canyon permanecerá fazendo com que os amantes do Hard 70’s e do Prog Rock (não confundir com Prog Metal) ainda tenham o prazer em ouvir canções ricas em inspiração, criatividade e complexidade que fogem do senso comum. Que continuem caminhando sobre o território que dominam com total competência e que venham mais obras como essa.

(Resenha por Diógenes Ferreira - 80 minutos)